NOTÍCIAS


  

Português: a força da Redação

Prof. Heric Jose Palos

Os exames de Língua Portuguesa têm cobrado a capacidade de o candidato ler, compreender e interpretar criticamente textos de toda natureza – literários e não literários. Assim como a capacidade de se valer de conhecimentos linguísticos na produção de textos que atendam aos requisitos de adequação, correção, coesão e coerência. Dessa forma, pressupõe-se o domínio da norma culta da língua escrita, o reconhecimento de outras variedades linguísticas e a posse de uma bagagem de leituras de textos literários.

Acresce que para alguns vestibulares existe a necessidade de leituras obrigatórias que contemplam as mais variadas linhas e estilos literários tanto da Literatura Brasileira quanto da Africana e Portuguesa.

No que diz respeito ao formato, a tendência dos exames é algo próximo ao que, hoje, definiu-se como um “modelo Enem”, isto é, pequenos trechos, para uma única questão, e enunciados que contenham uma breve contextualização do assunto cobrado. Normalmente, são textos aos quais o candidato está exposto no seu cotidiano de leitor de jornais, revistas, propaganda, sites etc. Os exercícios cobram não apenas o conhecimento formal, mas também a capacidade de, a partir de situações comuns, se estabelecer relações. Isso aliado à capacidade de observação e de abstração.

Em Literatura espera-se o conhecimento das obras selecionadas e por que elas são representativas de determinado período. A capacidade de analisar e interpretar textos recolhidos dessas obras e compará-los com outros de outras épocas e autores é também um aspecto cobrado. Os examinadores pressupõem a obra lida na íntegra e, por isso, não são raras as questões que envolvem não só um fragmento de texto, mas o conjunto da obra, incluindo pormenores de personagens, tempo, espaço e contexto social.

A prova de Redação tem o intuito de verificar a capacidade do candidato de opinar, refletir, formular hipóteses voltadas à interpretação de situações vazadas nos mais diferentes tipos de texto. Alguns exames, como o Enem, pedem, inclusive, uma proposta de resolução de problemas para medir a capacidade do estudante de ordenar as ideias e ter um posicionamento a respeito do tema. Os examinadores do Enem procuram orientar os candidatos a não caírem na mesmice de soluções primárias ou inexecutáveis.

Os examinadores da Unicamp solicitam duas redações confeccionadas em tipologias textuais diferentes. Em 2017 foram pedidas uma carta e um texto a ser divulgado em um site. Em ambos tem-se a preocupação de orientar o redator a se preocupar com o tema, ler o texto base e contribuir com um conteúdo possível dentro dos limites de um gênero textual.

A Fuvest manteve a tradição de pedir um tema mais abstrato acerca de explorar as possibilidades da razão como forma de o homem sair de seu status quo e atingir sua maioridade intelectual.

A Vunesp, com tema mais prosaico, procura verificar a opinião do candidato sobre uma questão social.

Os outros vestibulares, tanto os federais como os estaduais, têm temas voltados ou para reflexões abstratas e filosóficas ou para temas mais concretos. Excetuando a Unicamp, é comum pedir-se dissertação. O texto produzido deve estar de acordo com a norma padrão, tendo por base o bom domínio da língua e versatilidade na exposição de articuladores. Espera-se um texto bem elaborado, simples, correto, coeso, com argumentação coerente e sem propostas mirabolantes de soluções para problemas comuns que precisam ser pensados ou repensados. Sempre se deve lembrar que uma boa nota em Redação decorre de treino, leituras e boa vontade do redator.

 

Enem

A prova do Enem é extensa, cansativa e exige grande capacidade de concentração. É preciso estar ciente do que se vai encontrar: textos comuns, que alimentam questões, as quais supõem, muitas vezes, domínio de conteúdos fundamentais adquiridos ao longo do Ensino Médio. Ultimamente, têm sido frequentes exercícios que envolvem modalidades de linguagem. No exame do último ano, particularmente, havia questões mal formuladas, com dubiedade de interpretação e enunciado que não conduzia a uma resposta unívoca.

Redação

TEMA – Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil

É importante perceber que a banca deu como fato a existência da intolerância religiosa, cobrando do candidato ideias para combatê-la. Notadamente uma prova que defende os direitos humanos, o Enem solicita uma análise em que não há dupla possibilidade: os argumentos devem estar alicerçados por esses direitos, condenando qualquer forma de intolerância e buscando soluções que respeitam o ser humano e suas idiossincrasias. Bom tema de redação, que não deve ter oferecido resistência pela qualidade dos textos motivadores que, claramente tendenciosos, deixaram explícita a posição ideológica crítica a ser defendida.

   

 

Fuvest

A prova de Português da Fuvest é bem elaborada, interessante e normalmente procura exigir do candidato o estabelecimento de relações de conteúdos. Os últimos exames apontam na direção de textos verbais e não verbais, usos e domínios da linguagem, leitura e compreensão das obras obrigatórias, bem como relações que possam ser estabelecidas entre elas. Diferente em 2017 foi o aumento da cobrança de algumas questões de Gramática normativa, voltada para o conhecimento adquirido pelo estudante no Ensino Médio. Cabe ressaltar que nos exames mais recentes as questões de Literatura têm apresentado alto grau de complexidade e neste ano foram pedidas obras mais complexas, como Sagarana, Mayombe. O penúltimo teste da prova da 1ª fase, por exemplo, pediu uma correlação entre a arquitetura barroca do Brasil e um poema de Drummond, tipo de questão que pode causar uma dificuldade maior aos estudantes não acostumados com análise de obras visuais.

 

 

Unicamp

O exame de Português da Unicamp está claramente dividido em duas partes. A primeira versando sobre língua e linguagem – suas relações sintáticas e semânticas; a segunda, literatura. A lista de obras obrigatórias é vasta e, portanto, não há como cobrar tudo que se pede. Não há como fazer um exercício de adivinhação, é fundamental a leitura e a compreensão das obras, até porque, também aqui, as questões de literatura têm se notabilizado por um alto grau de sofisticação.

 

 

Vunesp e Unifesp

Em Português, Vunesp e Unifesp são talvez os exames mais tradicionais do Estado de São Paulo. Entenda-se: são provas para Ensino Médio, que cobram conteúdo de

Ensino Médio e esperam dos candidatos relações de Ensino Médio. Não têm listas de obras, assim os textos que compõem a prova de Literatura são tradicionais dos vários períodos artísticos, da História da Literatura. Cabe ressaltar que a prova da Unifesp é extensa e exige bastante concentração. Ambas, por conta muitas vezes do baixo grau de complexidade, exigem uma consideração muito grande, já que um erro pode custar a boa classificação.